Mais uma novidade da Multirim, para levar informações importantes para os pacientes adotar em seu percurso na hemodiálise.

Para começar, sabemos que a nutrição adequada para o paciente com doença renal crônica (DRC) em tratamento de hemodiálise contribui para uma melhor qualidade de vida e para a redução de sintomas que a doença ocasiona.

Tomando como base as diversas mudanças que a hemodiálise gera na vida dos pacientes, o tratamento nutricional tem o objetivo de promover mais qualidade de vida.

Quando os rins não funcionam, substâncias como potássio, fósforo, ureia, sódio e água vão se acumulando no sangue.

A maior quantidade dessas substâncias causa problemas no corpo e prejudicam o tratamento, por isso o cuidado com a alimentação é tão importante.

O acúmulo dessas substâncias leva a fraqueza nas pernas, cãibras, palidez da pele, coceira no corpo todo, cansaço fácil, inchaço, paralisia corporal, constipação, arritmia, dores nos ossos, diminuição da urina, entre outros.

A pergunta é: será que a diálise consegue tirar todas essas substâncias do corpo do paciente? E a resposta é Não!

A diálise ajuda muito, mas não trabalha 24 horas por dia como o rim saudável.

Sendo assim, o paciente deve conhecer a função dos nutrientes que, se não controlados, podem fazer mal ao seu corpo. E, nesta edição, vamos falar do fósforo:

Fósforo alto ocasiona: coceira intensa, dores nos ossos e arteriosclerose (placa de gordura nos vasos)

As principais fontes dessas substâncias que o paciente deve evitar:

– Carnes em geral (miúdos, salsicha, sardinha, carne de porco, linguíça);
– Leite e derivados (queijos, chocolate, iogurte, sorvete);
– Amendoim e castanhas grãos (feijão, ervilha, soja, lentilha e milho);
– Refrigerantes;
– Cerveja.

Lembre-se: em caso de dúvida, procure a nutricionista.

#multirim
#cuidandodavidacomamor
#bemestar
#nefrologia
#recifenses
#pernambuco
#instarecife

diario-de-bordo-nutricional